terça-feira, 1 de maio de 2018

De brinde !!!

Se for o caso de um praticante estar fixo por exemplo em Sakhya, com sua Rasa cristalizada em Sakhya. Ok. É provável que isto já tenha começado de outras vidas. Nenhum problema.

De um modo geral, a Rasa não está fixa e cristalizada (Sthayi) e assim a maioria daqueles que se aproximam do Vaisnavismo Gaudiya irão inclinar-se para Madhurya devido a forte influência deste humor.

Mas se o praticante estiver atraído por exemplo por Sakhya (ou outra Rasa qualquer). Ok. Cultiva isto até chegar em Prema e recebe um Svarupa de amigo (Sakha). Óptimo !!! Tenta encontrar associação neste humor dentro do Vaisnavismo Gaudiya. Embora seja muito raro por ser uma excepção. Mas está tudo bem. Cultiva isto !!!

MAS, por que tal praticante também é um devoto de Sri Caitanya e absorve-se profundamente nos passatempos internos de Sri Caitanya, também receberá um Svarupa de Manjari. 

De brinde !!!  

Porquê?

Por que os passatempos de Sri Caitanya Mahaprabhu são como Krsna exclusivamente no humor conjugal de Radha.

Múltiplos Svarupas - Svarupa-vyuha:

"Aqueles ocupados no serviço a Nityananda Prabhu e Advaita Acarya geralmente tem relacionamentos em amor paternal, fraternal, de servidão e neutralidade.
Quando tais devotos desenvolvem um grande apego a Sri Caitanya Mahaprabhu, eles também situam-se dentro do círculo íntimo de devotos em amor conjugal." 

(Srila Bhaktisidhanta Sarasvati Anubhasya CC Adi 7-17)

"Outros devotos puros, que estão mais ou menos ligados a Sri Nityananda Prabhu e Advaita Prabhu, são atraídos por outros relacionamentos transcendentais, como o afecto paternal, a amizade e a servidão. Quando tais devotos estão muito ligados às actividades do Senhor Caitanya, eles imediatamente tornam-se devotos confidenciais em amor conjugal com o Senhor Supremo." 

(Srila Prabhupada - Ensinamentos do Senhor Caitanya 17)

"Para apreciar muitas Lilas (e muitas formas diferentes de Rasa), Krsna exibe muitas formas Prakasa, cada uma com uma mentalidade separada. Além disso, cada forma Prakasa (em sua própria Lila Prakasa) não tem a menor idéia do que todas as Suas outras formas Prakasa estão a fazer. 

Da mesma forma, como os Nitya Parikaras de Krsna são Seu Cid-sakti, eles também manifestam muitas formas Prakasa, cada uma com uma mentalidade separada. 

Assim, como as várias formas Prakasa de um Bhakta servem nas várias Lilas Prakasa de Krsna, nenhuma destas formas Prakasa sabe o que todas as outras estão a fazer !!!" 

(Sri Jiva Gosvami -  Krsna Sandarbha – Anuccheda 156.8)

If it is the case for a practitioner to be fixed for example in Sakhya, with the Rasa crystallized in Sakhya. Okay. It's probably already started from other lives. No problem.

In general, the Rasa is not fixed and crystallized (Sthayi) and so, most of those who approach Gaudiya Vaisnavism will lean towards Madhurya due to the strong influence of this mood.

But if the practitioner is attracted for example by Sakhya (or some other Rasa). Okay. He cultivates this until reach Prema and receive a friend Svarupa (Sakha). Great !!! Try to find association in this mood within Gaudiya Vaisnavism. Although it is very rare for being an exception. But its alright. Cultivate this !!!

BUT, because such a practitioner is also a devotee of Sri Caitanya and absorbed deeply in the inner pastimes of Sri Caitanya, he will also receive a Manjari Svarupa.

 It's a freebie !!!

Why?

Because the pastimes of Sri Caitanya Mahaprabhu are  Krsna exclusively in the conjugal mood of Radha.

Multiple Svarupas - Svarupa-vyuha:

"Those who engage in the service of Lord Nityananda Prabhu and Lord Advaita Prabhu generally have relationships of parental love, fraternity, servitude and neutrality. When such devotees develop great attachment for Sri Caitanya Mahaprabhu, they too become situated within the intimate circle of devotees in conjugal love.”

(Srila Bhaktisidhanta Sarasvati Anubhasya CC Adi 7-17)

"Other pure devotees, who are more or less attached to Sri Nityananda Prabhu and Advaita Prabhu, are attracted by other transcendental relationships, such as parental affection, friendship and servitorship. When such devotees are very much attached to the activities of Lord Caitanya, they at once become confidential devotees in conjugal love with the Supreme Lord."

(Srila Prabhupada - Teachings of Lord Caitanya 17)

"In order to relish many Lilas ( and many different forms of Rasa ) Krsna displays many Prakasa forms, each having a separate mentality. Moreover, each Prakasa form (in its own Lila Prakasa ) hasn’t a clue about what all of His other Prakasa forms are doing. 

Yet similarly, because Krsna’s Nitya Parikaras are His Cid-sakti, they also manifest many Prakasa forms, each having a separate mentality. So as a Bhakta’s various Prakasa forms serve in Krsna’s various Lila Prakasa, none of those Prakasa forms know about what all of the others are doing either !!!"

(Sri Jiva Gosvami -  Krsna Sandarbha – Anuccheda 156.8)

domingo, 29 de abril de 2018

Diferentes estágios de lembrança

A relação entre o Sri Siksastaka e Raganuga Sadhana Bhakti é dada por Srila Bhaktivinoda Thakura no Sri Bhajana Rahasya.

No quinto verso do Sri Siksastaka, que representa Asakti, o praticante aceita o Siddha Deha de forma concentrada, ou em outras palavras, sua meditação é ininterrupta.

Em fases anteriores, a meditação do praticante no seu Siddha Deha não é constante nem regular.

Srila Bhaktivinoda Thakura explica cinco etapas especificamente em conjunto com a meditação no Siddha-deha, em suas notas 15-93 no Harinama-cintamani:

1 - A lembrança simples, Smarana, é o estágio em que o praticante recorda sua identidade espiritual (Siddha Deha) e seus onze aspectos (Ekadasa Bhava) em relação ao serviço nos passatempos circadianos (Asta-kaliya-lila) do Casal Divino. Neste ponto, ainda não há constância na meditação,  às vezes lembra-se, e outras vezes distrai-se.

2 - À medida que progride, chega-se ao estágio de auto-lembrança, Dharana, no qual se tenta ganhar firmeza na lembrança.

3 - Quando nos concentramos em todos os aspectos do objecto de meditação, isso é chamado Dhyana ou meditação.

4 - Quando se medita a cada momento, o estado é chamado “recordação constante” ou Anusmrti.

5 - Quando a meditação é perfeita e ininterrupta, e a pessoa pensa apenas nos passatempos do Senhor Krsna e em nada mais, este estado é chamado Samadhi.

HC 15,93

No Madhurya-kadambini, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura descreve a natureza evolutiva de Smarana, em conjunto com os estágios progressivos de Bhakti:

1 - No estágio de Bhajana-kriya, a meditação no Senhor é momentânea, com um toque de tópicos materiais.

2 - No estágio da meditação Nistha, há um rastro de outros tópicos.

3 - No estágio de Ruci, outros tópicos estão ausentes e a meditação é duradoura.

4 - No estágio de Asakti, a meditação se torna muito profunda.

5 - Durante Bhava, a meditação é marcada com o Senhor.

6 - No estágio de Prema, em contraste com simplesmente ver o Senhor, há associação directa com o Senhor.

MK 8,12

Jiva Gosvami explica que há cinco etapas na evolução da lembrança:

1 - Pensar no Senhor de qualquer maneira e em qualquer extensão é conhecido como Smarana ou lembrança.

2 - Retirar a mente de todos os objectos externos e fixá-la de maneira geral no Senhor é chamado Dharana, ou concentração.

3 - Contemplar especificamente o nome do Senhor, a forma e outros atributos é chamado Dhyana ou meditação.

4 - Quando a lembrança prossegue sem interrupção como um fluxo contínuo de néctar, ela é chamada de Dhruvanusmrti, ou lembrança constante.

5 - Quando o objecto de sua meditação é manifesto, sem a consciência do próprio eu (físico), é chamado Samadhi, ou transe.

BS Anuccheda 278

"De acordo com o quinto Sloka do Siksastaka (Asakti), deve-se aceitar seu corpo espiritual (Siddha-deha). Depois de aceitar o Siddha-deha deve-se começar Bhajana sob o abrigo dos pés de lótus de Srimati Radharani e gradualmente progredir.

Bhajana realizado de acordo com o sexto Sloka do Siksastaka (Bhava) indica que quase todos os Anarthas desapareceram e, portanto, há o necessário Adhikara (qualificação) para atingir Siddha-deha." 

(Sri Bhajana Rahasya 1)

Existem, de acordo com Srila Bhaktivinoda Thakura, 3 corpos Siddha:

1 - Siddha-deha almejado nas fases de Nistha (Nisthita Bhajana Kriya) e Ruci.

2 - Svarupa Siddhi (realização do Siddha-deha) em Asakti e Bhava.

3 - Vastu Siddhi (concretização do Siddha-deha) em Prema.

Anartha-nivritti não é nosso Prayojana

"Não deveríamos cometer o erro de pensar que Anartha-nivritti é nosso Prayojana (meta final). Alguém que pensa assim nunca poderá acessar Artha-pravritti, e por esta razão, eu começarei a falar sobre Asta-kaliya-lila."

Comentário: Crystal clear !!! Muito claro.

"Depois do plano de Anartha-nivritti vem o plano de Artha-pravritti, o serviço conjugal para Radha e Krsna. Esta é a realidade transcendental. Se não sabemos sobre esta morada transcendental, então todos os nossos esforços podem terminar em Nirvisesa-vada (vácuo devocional)."

Comentário: Porque "todos os nossos esforços podem terminar em Nirvisesa-vada" se não especificamos nossa relação com Radha e Krsna? Ora, muito simples. Porque Bhakti Yoga significa ter uma "relação pessoal" com Radha e Krsna. E não uma coisa incerta ou simplesmente saber de uma forma geral que se é um servo de Deus. 

"Não deixem seus dias passar simplesmente procurando por Anartha-nivritti. Artha-pravritti também é necessário."

Comentário: Os dias estão a passar, estão a passar ... e já estou cheio ... de rugas !!!

"Anartha-nivritti é necessário até que Artha-pravritti tenha começado. Quando Artha-pravritti está presente, então Anartha-nivritti deixa de ser importante. Artha-pravritti se torna proeminente."

Comentário: Muito importante. Srila Bhaktisiddhanta explica aqui que quando o ímpeto de aprofundar a relação com Radha e Krsna começa, os Anarthas não terminam, ficam somente em segundo plano. Os Anarthas acompanham o praticante até a fase avançada de Bhava.

"Aqueles que cantaram Harinama por quinze ou vinte anos devem saber destas coisas."

Comentário: De facto, Srila Bhaktisiddhanta orientou seus discípulos maduros no momento oportuno e ajudou-os a refinar sua meditação interna bem como os elementos do seu corpo interno Siddha-svarupa / Siddha-deha. Esta é uma das principais funções de um Guru.

(Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati, aula no Radha Kunda, 1932) 

Isto aplica-se a outras Rasas?

Sim, porém devemos salientar que no Vaisnavismo Gaudiya existe a predominância de Madhurya Rasa. 

Porquê? 

Porque o próprio Sri Caitanya Mahaprabhu é Krsna exclusivamente com o humor conjugal de Radha e todos os Gosvamis estão no humor de Manjaris.

E o que determina qual Rasa um praticante irá adoptar é essencialmente a associação recebida.

Assim temos que a influência de Madhurya Manjari Bhava no Gaudiya Vaisnavismo é muito forte, contundente, incisiva, vigorosa e poderosa.

Exemplos: Temos o caso de Murari Gupta e Anupama, o irmão de Sri Rupa e Sri Sanatana. 

Ambos, Murari e Anupama eram devotos de Sri Rama, e mesmo com a associação pessoal de Sri Caitanya não mudaram de Rasa. Porquê? Porque estavam fixos (Sthayi -fixo) e eram devotos perfeitos de Rama. 

No entanto, o Brahmana do sul da Índia mudou de Rasa por ter a associação de Sri Caitanya, devido a que sua Rasa não estava cristalizada.

Dois cenários

Existem aqueles que querem "empurrar" o começo de Raganuga Sadhana para a fase de Asakti, mas isto não tem nenhum sentido porque em Nisthita Bhajana Kriya (Nistha), o Sadhaka já terá uns 50% de desejos espirituais. Já é uma etapa "fértil" para Lobha surgir. Lobhamayi sraddha. O que ocorre em Asakti é um aprofundamento e intensificação da prática.

Ainda outros, querem "empurrar" o começo de Raganuga Sadhana para a fase de Bhava, mas isto é um absurdo, porque Raganuga é Sadhana Bhakti e não Bhava Bhakti. 

Então, quando isto começa?  

Existem dois cenários possíveis.

1 -  Neste primeiro cenário Vaidhi e Raganuga são ambos Sadhanas. Tanto num como no outro, o praticante percorre todas as etapas de Bhakti, desde Sadhu Sanga até Prema.

Neste cenário, o praticante não começa com Vaidhi e depois passa a Raganuga. É Raganuga desde o início. 

atha rāgānugā bhakti-majjanasyānartha nivṛtti niṣṭhā-rucy-āsakty-antaraṁ prema bhūmikārūḍhasya sākṣāt svābhīṣṭaprāpti-prakāraḥ pradarśyate  

"Agora será descrito como um devoto Rāgānuga gradualmente avança através dos estágios devocionais de Anartha-nivṛtti (eliminação dos impedimentos), Niṣṭhā (fixo), Ruci (gosto), Āsakti (apego à Deidade amada), até o estágio de Prema (amor à Deus) e a realização directa da Deidade amada."

(Rāga-vartma-candrikā 2.7)

Este primeiro cenário ocorre quando alguém com muito boa fortuna associa-se desde o ínicio com Rasika Vaisnavas elevados fixos numa determinada Rasa. Desde o início. Ou seja, o praticante é introduzido na Consciência de Krsna por tais Rasika Vaisnavas elevados fixos numa determinada Rasa, onde todos os membros do Parampara pertencem a esta determinada Rasa sem excepção. 

Esta associação é tão influente e poderosa que o praticante desenvolve uma atracção (Lobha) por seguir tal caminho de Vraja (Ragamarga) nesta mesma Rasa já na etapa de Sadhu Sanga e Bhajana Kriya.

E Lobha, ou desejo espiritual de seguir o humor de Vraja numa determinada Rasa é o ponto de partida inicial para Raganuga Sadhana Bhakti. Lobhamayi sraddha.

Tal Lobha é desencadeada por absorver-se em cantar Hare Krsna, ouvir os passatempos de Vraja e especialmente por ter a associação de Vaisnavas fixos no humor de Vraja numa determinada Rasa. 

2 - Neste segundo cenário começa com Vaidhi e depois passa a Raganuga.

"Se não se chegar à plataforma de serviço espontâneo (Raganuga Bhakti) no início, deve-se adoptar serviço regulado." (Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - Cc Madhya 22-109) 

Porquê?

Porque como o praticante não tem a associação de devotos fixos em Vraja numa Rasa específica, sua Lobha,  ou desejo espiritual de seguir o humor de Vraja numa determinada Rasa, irá despertar um pouco depois em Nisthita Bhajana Kriya (Nistha).

Ambos cenários estão de acordo com o Sri Upadesamrta.

There are those who want to "push" the beginning of Raganuga Sadhana to the Asakti phase, but this makes no sense because in Nisthita Bhajana Kriya (Nistha), the Sadhaka will already have about 50% spiritual desires. It is already a "fertile" phase for Lobha to emerge. Lobhamayi sraddha. What happens in Asakti is a deepening and intensification of practice.

Still others, want to "push" the beginning of Raganuga Sadhana to the Bhava stage, but this is absurd, because Raganuga is Sadhana Bhakti and not Bhava Bhakti.

So, when does this start?

There are two possible scenarios.

1 - In the first scenario Vaidhi and Raganuga are both Sadhanas. Both in one and the other, the practitioner travels through all stages of Bhakti, from Sadhu Sanga to Prema.

In this scenario, the practitioner does not start with Vaidhi and then passes to Raganuga. It's Raganuga from the start.

atha rāgānugā bhakti-majjanasyānartha nivṛtti niṣṭhā-rucy-āsakty-antaraṁ prema bhūmikārūḍhasya sākṣāt svābhīṣṭaprāpti-prakāraḥ pradarśyate

"It will now be described how a Rāgānuga devotee gradually advances through the devotional stages of Anartha-nivṛtti (elimination of impediments), Niṣṭhā (fixed), Ruci (taste), Āsakti (attachment to the beloved Deity), to the stage of Prema (love of God) and the direct realization of the beloved Deity."

(Rāga-vartma-candrikā 2.7)

This first scenario occurs when one with very good fortune associates from the beginning with elevated Rasika Vaisnavas fixed in a certain Rasa. From the beginning. That is, the practitioner is introduced into the Krsna Consciousness by such elevated Rasika Vaisnavas fixed in a certain Rasa, where all the members of Parampara belong to this particular Rasa without exception.

This association is so influential and powerful that the practitioner develops an attraction (Lobha) for following such a path of Vraja (Ragamarga) in this same Rasa already in the stage of Sadhu Sanga and Bhajana Kriya.

And Lobha, or spiritual desire to follow the mood of Vraja in a specific Rasa is the starting point for Raganuga Sadhana Bhakti. Lobhamayi sraddha.

Such a Lobha is triggered by chanting Hare Krsna, listening to the pastimes of Vraja, and especially by having the association of Vaisnavas fixed in Vraja's mood in a certain Rasa.

2 - This second scenario begins with Vaidhi and then passes to Raganuga.

"If one does not come to the platform of spontaneous service (Raganuga Bhakti) in the beginning, he must adopt regulative service" (Srila A.C. Bhaktivedanta Svami Prabhupada - Cc Madhya 22-109)

Why?

Because as the practitioner does not have the association of fixed devotees in Vraja in a specific Rasa, his Lobha, or spiritual desire to follow the mood of Vraja in a particular Rasa, will awaken a little later in Nisthita Bhajana Kriya (Nistha).

Both scenarios are according to Sri Upadesamrta.

Nṛsiṁha-caturdaśī 2018

Nṛsiṁha-caturdaśī Kī Jaya !!!

"Srimān Mahāprabhu diz: "Ayi Nanda-tanuja! Eu caí no terrível oceano da existência material!"

Ayi é a palavra que geralmente uma mulher usa ao abordar alguém. Quando um homem fala com alguém, supõe-se que seja "He Nanda-tanuja!"

A partir disso podemos entender que Śrī Gaurāṅga Mahāprabhu aceitou humildemente o humor de Śrī Rādhā.

O Bhāva de Śrī Rādhā é Vibhu, todo-penetrante e supremo, e de Seu Mahābhāva todos os outros Bhāvas se manifestam.

Nos passatempos de Śrī Gaurāṅga Mahāprabhu um fluxo ininterrupto de Seu deleite de Rādhā-bhāva está a fluir.

No Caitanya Bhagavata, por exemplo, é dito que Ele estava repetidamente ouvindo as histórias sobre Dhruva Mahārāja e Prahlāda Mahārāja do Bhagavata:

gadādhara sammukhe poḍen bhāgavata
śuniyā prakāse prabhu kṛṣṇa bhāva yoto
dhruvera caritra āra prahlāda caritra
śatavṛtti koriyā śunen sāvahita

“De novo e de novo o Senhor ouvia atentamente as histórias sobre Dhruva e Prahlāda que eram lidas por Gadādhara Paṇḍita do Srimad Bhagavata. Quando o Senhor sentou-se diante de Gadadhara, Ele manifestou muitos sentimentos de amor por Kṛṣṇa.”

Quando Mahāprabhu ouviu o quanto Dhruva estava ansiando para Śrī Hari Ele se lembrou do amor apaixonado de Śrī Rādhā por Śrī Kṛṣṇa.

Ao ouvir como Prahlāda se tornou vitorioso sobre os demônios que o torturavam, e como o veneno que eles administravam a ele pareciam como néctar para ele, Mahāprabhu, aceitando os sentimentos de Śrī Rādhā, pensou: “Eu também estou impedida de servir Kṛṣṇa de muitas maneiras - pela minha sogra, pela minha cunhada, pelas tradições locais, pelas tradições familiares, na casa e na floresta, e Eu tenho que conquistar estes obstáculos. Portanto, também devo considerar que o veneno da difamação de uma espôsa casta é tão delicioso quanto o néctar!”

(Comentário do Śikṣāṣṭaka 5 por Rādhā Kuṇḍa Mahānta Paṇḍita Śrī Ananta Dāsa Bābājī Mahārāja) 

Prahlāda Mahārāja queria tanto estar com seu amado Senhor !!!

Śrī Rādhā queria tanto estar com Seu amado Krsna !!!

E assim o Sādhaka conecta todos os passatempos a sua Deidade adorável.

Nṛsiṁha-caturdaśī Kī Jaya !!!

"Śrīmān Mahāprabhu says: “Ayi Nanda-tanuja! I have fallen in the terrible ocean of material existence!” 

Ayi is the word a female person generally uses upon addressing someone. When a male person addresses someone, it’s supposed to be “He Nanda-tanuja!” 

From this we can understand that Śrī Gaurāṅga Mahāprabhu has humbly accepted the mood of Śrī Rādhā. 

The Bhāva of Śrī Rādhā is Vibhu, all-pervading and supreme, and from Her Mahābhāva all other Bhāvas become manifest. 

In the pastimes of Śrī Gaurāṅga Mahāprabhu an unbroken stream of His relishing of Rādhā-bhāva is flowing. 

In Caitanya Bhāgavata, for instance, it is said that He was repeatedly listening to the stories about Dhruva Mahārāja and Prahlāda Mahārāja from the Bhāgavata:

gadādhara sammukhe poḍen bhāgavata
śuniyā prakāse prabhu kṛṣṇa bhāva yoto
dhruvera caritra āra prahlāda caritra
śatavṛtti koriyā śunen sāvahita

“Again and again the Lord carefully listened to the stories about Dhruva and Prahlāda that were read to Him by Gadādhara Paṇḍita from Śrīmad Bhāgavata. As the Lord sat before Gadādhara, He manifested so many moods of love for Kṛṣṇa.”

When Mahāprabhu heard how eagerly Dhruva was crying out to Śrī Hari He remembered Śrī Rādhā’s passionate love for Śrī Kṛṣṇa. 

Upon hearing how Prahlāda became victorious over the demons who tortured him, and how the poison they administered to him tasted like nectar to him, Mahāprabhu, accepting the feelings of Śrī Rādhā, thought: “I am also stopped from serving Kṛṣṇa in so many ways – by My mother-in-law, by My sister-in-law, by local traditions, by family traditions, in the house and in the forest, and I have to conquer those obstacles. I should also consider the poison of the defamation of a chaste housewife to be as delicious as nectar!”

(Commentary of Śikṣāṣṭaka 5 by Rādhā Kuṇḍa Mahānta Paṇḍita Śrī Ananta Dāsa Bābājī Mahārāja)

Prahlāda Mahārāja wanted so much to be with his beloved Lord !!!

Śrī Rādhā wanted so much to be with Her beloved Krsna !!!

And so the Sādhaka connects all pastimes to his/her adorable Deity.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

O copo cheio


O copo cheio e o Śrī Upadeśāmṛta !!!

O Śrī Upadeśāmṛta de Śrīla Rūpa Gosvāmī tem 4 comentários (por ordem cronológica):

1 - Upadeśa-prakāśikā-ṭīkā (Comentário acerca das informações do Śrī Upadeśāmṛta) de Śrī Rādhā-ramaṇa Dāsa Gosvāmī.

2 - Pīyūṣa-varṣiṇī-vṛtti (Comentário que irriga o néctar condensado) de Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura.

3 - Anuvṛtti (Comentário que segue com respeito) de Śrīla Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura.

4 - O Néctar da Instrucção de Śrīla A.C. Bhaktivedānta Svāmī Prabhupāda.

O Śrī Upadeśāmṛta é um livro maravilhoso. E vale a pena estudar e analisar cuidadosamente os seus comentários.

O Śrī Upadeśāmṛta recomenda a tolerância das demandas do corpo e mente. Explica as actividades desfavoráveis e favoráveis ao serviço devocional. Mostra como relacionar-se com os devotos e a importância de cantar Hare Kṛṣṇa e de absorver-se nos passatempos de Vraja.

O livro continua a explicar que ao fazer isto o praticante é levado a enveredar no caminho de Rāga no humor de Mādhurya-rasa por servir e adorar o  Śrī Rādhā Kuṇḍa.

E, exatamente em que momento o praticante envereda por este caminho de Rāga?

Ele envereda pelo caminho de Rāga quando pelo menos metade dos seus desejos são espirituais.   

Imaginem um copo sempre cheio a 100% !!!

Assim são nossos desejos. Nós sempre temos 100% de desejos ... mas, estes desejos podem estar misturados. Podem, por exemplo, ser 60% de desejos materiais e 40% de desejos espirituais. 

Mas o copo está sempre cheio !!! 

Quando o copo está 50% - 50%, começa Rāgānugā-sādhana-bhakti (embora até possa ser antes).

"Quando 75% das coisas sujas são purificadas, então a nossa fé em Deus torna-se fixa.

Então Nasta-prāyeṣv abhadreṣu nityam bhagavata-sevayā (SB 1.2.18). Nem tudo limpo, mas Praya, digamos, setenta e cinco por cento purificado. Neste momento você se torna fixo em serviço devocional, Naiṣṭhikī. 

Existem diferentes fases do serviço devocional. Como já expliquei várias vezes. Primeiro de tudo, śraddhā, sadhu-sanga, bhajana-kriyā, anartha-nivṛttiḥ syat. Quando anartha-nivṛttiḥ syat, todas as coisas indesejáveis ​​terminam, neste momento, Nistha, fé firme. Então bhagavaty uttama-śloke bhaktir bhavati naiṣṭhikī. 

Assim, enquanto houverem coisas sujas, nossa fé e devoção em Krsna não será muito fixa, por vezes, nos desviamos, vamos embora. Mas, em seguida, Nasta-prāyeṣu, quando setenta e cinco por cento das coisas sujas são purificadas, então a nossa fé em Deus torna-se fixa. Bhagavaty uttama-śloke. 

Se todas as coisas indesejáveis são vencidas, então você vai ter uma fé firme. Bhaktir bhavati naiṣṭhikī. Nityam bhagavata-sevayā, Nasta-prāyeṣu abhadreṣu ... Nasta [SB 1.2.18]. 

NÃO É QUE EU estarei completamente livre de todas as actividades pecaminosas, mas Prāyeṣu, digamos, cinqüenta por cento, sessenta por cento da sujidade foi-se. 

Neste momento, Nasta-prāyeṣu abhadreṣu ... Como isto ocorreu? Nityam bhagavata-sevayā." 

(Śrīla Prabhupāda - Palestra SB 1.2.18 - 21/08/72)

Em outras palavras, com 25% ou mesmo 50% de "sujeira" pode-se começar a praticar Rāgānugā-sādhana-bhakti. Ou seja, ainda temos desejos materiais.

Esta é uma das coisas mais absurdas que às vezes ouço. Que para praticar Rāgānugā-sādhana-bhakti é preciso ser completamente puro.

Então teríamos que tirar a palavra Sādhana que está entre Rāgānugā-sādhana-bhakti.

Ora Sādhana ... é Sādhana. É algo que se pratica na fase c-o-n-d-i-c-i-o-n-a-d-a.

Então, não é correcto para devotos, que vêm praticando Consciência de Kṛṣṇa por tantas décadas nesta vida e, talvez, em outras vidas, fazer falsas alegações de que é preciso ser completamente puro e livre de Anarthas para começar a cultivar Rāgānugā-sādhana-bhakti.

Aqueles que, muitas vezes até inadvertidamente defendem tal absurdo, bloqueiam o fluxo natural de suas práticas devocionais, bem como a de muitos outros praticantes desavisados. 

The Full Cup and Śrī Upadeśāmṛta !!!

The Śrī Upadeśāmṛta of Śrīla Rūpa Gosvāmī has 4 comments (in chronological order):

1 - Upadeśa-prakāśikā-ṭīkā (Commentary on the information of Śrī Upadeśāmṛta) by Śrī Rādhā-ramaṇa Dāsa Gosvāmī.

2 - Pīyūṣa-varṣiṇī-vṛtti (Commentary watering the condensed nectar) of Śrīla Bhaktivinoda Ṭhākura.

3 - Anuvṛtti (Comment that follows with respect) of Śrīla Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura.

4 - The Nectar of the Instruction of Śrīla A.C. Bhaktivedānta Svāmī Prabhupāda.

Śrī Upadeśāmṛta is a wonderful book. And it's worth studying and reviewing its comments carefully.

Śrī Upadeśāmṛta recommends the tolerance of the demands of body and mind. Explain the unfavorable and favorable activities for devotional service. It shows how to relate to the devotees and the importance of chanting Hare Kṛṣṇa and of absorbing into the pastimes of Vraja.

The book goes on to explain that in doing so the practitioner is led to embark on Rāga's path in the mood of Mādhurya-rasa for serving and worshiping Śrī Rādhā Kuṇḍa.

And, exactly at what moment does the practitioner embark on this path of Rāga?

He embarks the path of Rāga when at least half of his desires are spiritual.

Imagine a glass always full at 100% !!!

Such are our desires. We always have 100% desires ... but, these desires may be mixed. They may, for example, be 60% of material desires and 40% of spiritual desires.

But the glass is always full !!!

When the cup is 50% - 50%, Rāgānugā-sādhana-bhakti begins (though it may even be before, in Bhajana-kriyā, for those with the good fortune of having the association of an elevated Rasika Vaiṣṇava).

"When 75% of the dirty things are purified, then our faith in God becomes fixed.

Then Nasta-prāyeṣv abhadreṣu nityam bhagavata-sevayā (SB 1.2.18). Not all clean, but Praya, say, seventy-five percent purified. At this moment you become fixed in devotional service, Naiṣṭhikī.

There are different phases of devotional service. As I explained several times. First of all, śraddhā, sadhu-sanga, bhajana-kriyā, anartha-nivṛttiḥ syat. When anartha-nivṛttiḥ syat, all undesirable things end, at this moment, Nistha, firm faith. Then bhagavaty uttama-śloke bhaktir bhavati naiṣṭhikī.

So, as long as there are dirty things, our faith and devotion in Krsna will not be very fixed, sometimes we deviate, we leave. But then Nasta-prāyeṣu, when seventy-five percent of the dirty things are purified, then our faith in God becomes fixed. Bhagavaty uttama-śloke.

If all undesirable things are overcome, then you will have a firm faith. Bhaktir bhavati naiṣṭhikī. Nityam bhagavata-sevayā, Nasta-prāyeṣu abhadreṣu ... Nasta [SB 1.2.18].

IT IS NOT THAT I will be completely free from all sinful activities, but Prāyeṣu, say, fifty percent, sixty percent of the dirt was gone.

At this time, Nasta-prāyeṣu abhadreṣu ... How did this happen? Nityam bhagavata-sevayā."

(Śrīla Prabhupāda - Lecture SB 1.2.18 - 08/21/72)

In other words, with 25% or even 50% "dirt" one can begin to practice Rāgānugā-sādhana-bhakti. That is, we still have material desires.

This is one of the most absurd things I sometimes hear. That to practice Rāgānugā-sādhana-bhakti one must be completely pure.

Then we would have to take away the word Sādhana that is between Rāgānugā-sādhana-bhakti.

Now Sādhana ... is Sādhana. It is something that is practiced in the c-o-n-d-i-t-i-o-n-e-d phase.

So it is not right for devotees, who have been practicing Kṛṣṇa consciousness for so many decades in this life and perhaps in other lives, to make false claims that one must be completely pure and free of Anarthas to begin cultivating Rāgānugā-sādhana-bhakti .


Those who often even inadvertently espouse such absurdity block the natural flow of their devotional practices as well as that of many other unsuspecting practitioners.

domingo, 22 de abril de 2018

Bhakti pela metade

Praticar Bhakti pela metade !!!

Somente devoto(a)s perfeitos podem meditar nos passatempos de Śrī Śrī Rādhā-Kṛṣṇa ... ERRADO !!!

Meditar nos passatempos de Śrī Śrī Rādhā-Kṛṣṇa é tanto Sādhana (prática) como Sādhya (objectivo final) como explicado por Śrīla Narottama Dāsa Ṭhākura:

manera smaraṇa prāṇa, madhura madhura dhāma, yugala vilāsa smṛti sāra sādhya sādhana ei, ihā vai āra nāi, ei tattva sarva tattva sāra

"A vida mesma da mente é Smaraṇa, e a lembrança mais doce são os passatempos de Rādhā e Kṛṣṇa. Este é o objectivo e esta é a prática e não há nada mais do que isto. Esta verdade é a essência de todos os princípios regulativos."

(Śrī-Śrī Prema Bhakti Candrikā 61)

Somente devoto(a)s perfeitos podem servir com seu corpo interno (Siddha-rūpa - Siddha-deha) ... ERRADO !!!

Servir com o corpo externo (Sādhaka-rūpa) e com o corpo interno (Siddha-rūpa - Siddha-deha) faz parte de Sādhana como explicado por Śrīla Rūpa Gosvāmī no capítulo que trata exactamente de Sādhana no Bhakti-rasāmṛta-sindhu:

sevā sādhaka-rūpeṇa siddha-rūpeṇa cātra hi 
tad-bhāva-lipsunā kāryā vraja-lokānusārataḥ 

(BRS 1.2.295)

“Seguindo os habitantes de Vraja, deve-se prestar serviço com o corpo físico e com o corpo Siddha, com um desejo por um Bhāva em particular.”

Servir somente com o Sādhaka-rūpa (corpo físico) sem servir ao mesmo tempo com o Siddha-rūpa - Siddha-deha (corpo interno) é ... praticar Bhakti pela metade !!!

Practicing Bhakti by half !!!

Only perfect devotees can meditate on the pastimes of Śrī Śrī Rādhā-Kṛṣṇa ... WRONG !!!

Meditating on the pastimes of Śrī Śrī Rādhā-Kṛṣṇa is both Sādhana (practice) and Sādhya (ultimate goal) as explained by Śrīla Narottama Dāsa Ṭhākura:

manera smaraṇa prāṇa, madhura madhura dhāma, yugala vilāsa smṛti sāra sādhya sādhana ei, ihā vai āra nāi, ei tattva sarva tattva sāra

"The very life of the mind is Smaraṇa, and the sweetest remembrance is the pastimes of Rādhā and Kṛṣṇa. This is the goal and this is the practice and there is nothing more than this. This truth is the essence of all regulative principles." 

(Śrī-Śrī Prema Bhakti Candrikā 61)

Only perfect devotees can serve with their inner body (Siddha-rūpa - Siddha-deha) ... WRONG !!!

Serving with the external body (Sādhaka-rūpa) and the inner body (Siddha-rūpa - Siddha-deha) is part of Sādhana as explained by Śrīla Rūpa Gosvāmī in the chapter dealing exactly with Sādhana in the Bhakti-rasāmṛta-sindhu:

sevā sādhaka-rūpeṇa siddha-rūpeṇa cātra hi 
tad-bhāva-lipsunā kāryā vraja-lokānusārataḥ

(BRS 1.2.295)

“Following after the inhabitants of Vraja, one should perform service in one’s physical body and in one’s Siddha body, with a desire for a particular Bhāva.”

Serving only with the Sādhaka-rūpa (physical body) without serving at the same time with the Siddha-rūpa - Siddha-deha (inner body) is ... practicing Bhakti by half !!!